Palimpsesto

by Vario Chroma

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
04:35
2.
03:38
3.

credits

released July 15, 2015

Marco Tulio (vocals)
Mark Gabriels (guitar)
Pedro Tanure (guitar)
Ramon Cardinali (drums)

tags

license

all rights reserved

about

Vario Chroma Belo Horizonte, Brazil

contact / help

Contact Vario Chroma

Streaming and
Download help

Track Name: Palimpsesto
Palimpsesto
(letra: Marco Túlio)

Ah, não há razão
Tentei. Tentaram por mim,
Em vão, aceitar
Esse lugar não é meu

Inútil acreditar
Impróprio me saí
Ferida velha
Existe em mim

Em nome de alguém
Sufocam quem sou

Ah, não há razão
Eu sei...
Tentei. Tentaram por mim
Me adequar
Inaceitável me fiz

Socialmente inaceitável, marginal e incomum
Bússola quebrada, palimpsesto de mim mesmo

Em nome dele
Em nome dele
Nunca vi, nem cri
Me querem morto, refeito
Amo sem amor
Amo com ódio
Com tanta coisa assim não sobra em que confiar
Ah, o que sou, incomum e que não se encaixa
Deuses que não amam

Inútil acreditar
Impróprio me saí
Couro raspado
Rescrito enfim

Resquícios de algo
Transcrevem de alguém

Já não faz doer
Track Name: Momento
Momento
(letra: Marco Túlio)

A tinta que se espalha
O sangue que se escorre
Desconforto, stress
A mente colapsou e para em overdose

Um sentimento,
Parece instinto
E nada se move...

Tremedeira
A mão contorce
Dente range
Disritmia

Estresse

E a raiva passa.
Track Name: Darjeeling Tea
Darjeeling Tea
(letra: Marco Túlio)

Procuro o nome
Me foge à memória
Faz tanto tempo

Ah, esse tal de amor...
Há muito não o vejo
A amargura se faz cada vez mais presente
E desejada

Quero outro momento
Só não sei se vou sentir pois eu não vou buscar

Guardo n'outro tempo a memória
Ainda assim eu não pretendo apagar

E se um dia eu voltar...
Mas nem sei...
Nem orgulho, nem medo
Me falta o querer

Sentir,
Algo muda
Toda a doçura
Após o amargor emerge

E espero, parado
Um resgate, calado

Volto pra sentir o amargo que eu
Aprendo dia a dia a amar
O amargo é como me matar de novo
O retorno não me deixa apagar

E espero
Me espero